Gartner: mercado de dispositivos IoT para governos chegará a US$ 21 bi em 2022

O mercado mundial de internet das coisas (IoT) para governos alcançará expressivos US$ 21,3 bilhões em 2022, aumento de 22% em relação ao total previsto de US$ 17,5 bilhões para 2021. Mais da metade desse montante será despendido com endpoints e serviços de comunicações serão em vigilância em saúde pública e segurança.

Também aparecem na lista gastos com pedágios e gestão de tráfego (US$ 2,6 bilhões em 2022), rastreamento de ativos da cidade (US$ 2,2 bi), rastreamento de evidências policiais (US$ 1,5 bi) e de emergências de bombeiros (US$ 1,1 bi) e gestão de estacionamentos (US$ 0,7 bi). As estimativas foram divulgadas esta semana pelo Gartner.

Segundo Kay Sharpington, analista sênior de pesquisa da consultoria, a queda dos custos dos dispositivos está contribuindo para a viabilidade financeira de projetos que utilizam câmeras de vigilância e rastreamento de ativos em cidades. “Os governos locais em todo o mundo estão usando cada vez mais a tecnologia IoT para monitorar sua infraestrutura e seus ativos de forma mais eficaz ou para melhorar a segurança e a qualidade de vida dos cidadãos, incluindo o controle da disseminação do COVID-19 e a verificação da conformidade da quarentena”, diz a especialista, em comunicado.

Drivers: pandemia e 5G

Desde o início da pandemia aumentou expressivamente o uso de câmeras para verificar medidas de distanciamento social e uso de máscaras, por exemplo, o que segundo Sharpington ajudou a aumentar o ritmo de adoção para outras aplicações. No entanto o ritmo de adoção pode variar em diferentes regiões do mundo por conta de regulamentações de privacidade de dados entre os países.

“Por exemplo, o governo chinês não tem as mesmas restrições que a Europa Ocidental e a América do Norte, portanto, será um contribuinte chave para o crescimento, usando câmeras que utilizam técnicas avançadas de reconhecimento de imagem e análise de vídeo”, diz a analista.

Outro facilitador de mercado é o 5G, adequado para aplicações de vídeo devido ao alto volume de dados capaz de transportar. O Gartner estima que as câmeras de vigilância externas representarão mais de 75% das conexões 5G globais de redes governamentais até 2022. Também que, em 2022, 39% dos endpoints para governos serão fornecidos com uma interface de área ampla de baixa potência (LPWA), contra 26% em 2020.

As tecnologias LPWA oferecem conectividade sem fio a preços mais baixos do que redes máquina a máquina (M2M) tradicionais. A longa duração da bateria também torna os dispositivos adequados para aplicações urbanas, diz o Gartner.

Fonte: Portal CIO.