Mais da metade da população mundial usará bancos digitais até 2026, diz estudo

Com o avanço da Covid-19 e das medidas de segurança para conter o vírus, a transformação digital levou grandes bancos a inovarem nos serviços e na experiência do cliente. Uma tendência que colocou bancos digitais em níveis competitivos no setor e transformou bancos tradicionais. Essa evolução digital pressiona também bancos menores a inovarem rapidamente, uma vez que 53% da população mundial usará um banco digital até 2026, segundo pesquisa da Juniper Research.

A pesquisa da empresa com sede no Reino Unido mostrou que nos próximos cinco anos, 4,2 bilhões de pessoas terão acesso ao banco como serviço on-line. A tendência cresceu com a pandemia, a exemplo de cinco grupos bancários, citados na pesquisa, que lideram o setor: o Bank of America; o banco britânico HSBC; JPMorgan Chase; BBVA da Espanha; e DBS Bank de Cingapura.

Cada um dos cinco grupos bancários listados pela Juniper teve uma inovação ou fator específico que os tornou líderes.

O Bank of America oferece uma plataforma digital em constante expansão, incluindo o chatbot Erica, e registrou aumentos significativos no uso e envolvimento digital durante a pandemia. O JPMorgan Chase experimentou o blockchain e fez aquisições, como a do gestor de patrimônio Nutmeg no Reino Unido, para aumentar suas ofertas. O HSBC lançou novas soluções inovadoras, como o HSBC Kinetic para pequenas empresas no Reino Unido, com o BBVA lançando iniciativas, incluindo o comércio de criptomoedas e o Banco DBS com altos níveis de engajamento digital.

“Esses bancos progrediram com estratégias de transformação digital bem planejadas e executadas, e outros bancos precisam construir roteiros igualmente amplos e revolucionários, ou serão deixados para trás por concorrentes mais ágeis”, disse Damla Sat, Coautor da pesquisa.

As iniciativas de transformação digital dessas grandes organizações financeiras também beneficiaram instituições menores. A pandemia causou uma mudança massiva de novos usuários para serviços bancários digitais, com o número diário de novos usuários atingindo um máximo de 41% em relação à média da linha de base em março e abril de 2020.

A nova pesquisa “Digital Banking: Banking-as-a-Service, Market Transformation & Forecasts 2021-2026” também identificou que a China será o maior mercado de banco digital nos próximos 5 anos, representando quase 25% dos usuários de banco digital em 2026. A pesquisa recomenda que os bancos integrem melhor suas muitas ofertas em uma experiência digital única e consistente, para competir melhor com a concorrência diversificada.

Bancos Digitais no Brasil

Em crescimento no Brasil, as fintechs têm certas características em comum. Por exemplo, grande parte oferece abertura de conta-corrente sem taxa de serviço e cartão de crédito sem anuidade, bem como aceitam transferência via PIX.

É importante citar que os bancos digitais são instituições regularizadas pelo Banco Central e protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito. Isso certifica que as contas digitais tenham a mesma proteção de um banco tradicional. Confira:

1. Banco Inter

Fonte:  Direito.com.br/Reprodução 

Uma das primeiras fintechs brasileiras, o Banco Inter ajudou a popularizar o conceito de banco digital no país. A instituição não cobra taxas para abertura de conta-corrente nem para serviços básicos ou transferências.

Os clientes têm direito a um cartão de crédito sem anuidade com cashback e podem realizar saques gratuitos na rede Banco24Horas. Além disso, o aplicativo oferece plano odontológico e uma área dedicada para investimentos e empréstimos.

2. Nubank

Fonte:  Nubank/Divulgação 

Importante fintech brasileira, o Nubank conquistou clientes ao oferecer uma plataforma simples e intuitiva. Eliminando diversas burocracias, um dos diferenciais da instituição é a conta digital para Pessoa Jurídica (PJ).

Moderno, o cartão do banco realiza pagamentos por aproximação, e o programa Nubank Rewards estimula o uso do cartão de crédito em troca de benefícios. Um dos pontos negativos é a taxa de R$ 6,50 cobrada para cada saque na rede Banco24Horas.

3. C6 Bank

Fonte:  Jrs.Digital/Reprodução 

O C6 Bank é um dos bancos com o pacote de serviços mais completo. Além da conta-corrente digital gratuita, há opções de contas exclusivas para microempreendedor individual (MEI) e de contas internacionais em dólar — ambas sem taxas adicionais.

A extensa lista de serviços é outro ponto positivo. A instituição fornece uma tag de pedágio gratuita para os clientes e um amplo programa de troca de pontos.

4. Mercado Pago

Fonte:  Gadgerss/Reprodução 

Criado pelo Mercado Livre, o Mercado Pago é uma plataforma de pagamentos que exerce a função de banco digital. Inicialmente, foi desenvolvido para facilitar as transações de valores dos clientes do site de vendas, mas se tornou uma carteira digital com recursos diversos.

Os clientes têm direito a cartões internacionais, saques na rede Banco24Horas e opções de investimentos.

5. Neon

Fonte:  Pinterest/Reprodução 

Com a proposta de facilitar a vida dos clientes, o Neon fornece uma conta-corrente digital sem taxas. Em parceria com o Banco Votorantim, a fintech emite cartões de crédito, de débito e pré-pagos.

O aplicativo da instituição também tem uma área dedicada para investimentos e presta serviço de empréstimos. Por fim, clientes Neon+ têm direito a três saques gratuitos no mês.

6. Next

Fonte:  IQ/Reprodução 

Parte do Bradesco, o Next é uma instituição financeira que atua de forma independente e oferece serviços totalmente gratuitos. O cliente não paga taxa para abrir a conta-corrente digital e tem saques ilimitados nos caixas do Banco24Horas.

Seu diferencial são os serviços semelhantes aos dos bancos tradicionais. Com isso, ele oferece empréstimos, antecipação de 13º salário, crédito parcelado e um programa de “mimos”.

7. Banco Original

Foto: Divulgação/Banco Original

O Banco Original oferece serviços bancários para empresas e para pessoas físicas. Apesar de permitir a abertura de uma conta digital gratuita, há certas taxas para serviços básicos e para transferências.

Ainda assim, permite saques gratuitos e implantou recentemente a modalidade de saque via QR Code. E os cartões realizam pagamento por aproximação.

8. PagBank

Fonte:  Azulis/Reprodução 

Semelhante ao Mercado Pago, o PagBank está relacionado às máquinas de crédito e de débito do PagSeguro. No entanto, ele também atua como uma conta digital sem taxas para os clientes da plataforma.

Atualmente, apresenta serviços como empréstimos online, investimentos, pagamento por aproximação e por QR Code. Vendedores que faturam acima de R$ 50 mil ao mês têm direito a saques gratuitos.

9. Agibank

Fonte:  Meu Banco/Reprodução 

O Agibank é um banco digital que atua de forma diferente dos demais. Por exemplo, a abertura da conta digital acontece mediante aprovação, e ele cobra taxa de serviços básicos e por transferências.

Em contrapartida, a instituição oferece opções de empréstimos, investimentos e pagamento por QR Code. Além disso, é o único banco da lista com pontos físicos de atendimento.

10. N26

Fonte:  TravelNTech/Reprodução 

O primeiro banco digital europeu, o N26 é uma fintech alemã que recebeu autorização do Banco Central para operar no Brasil. A companhia deve iniciar as atividades ainda em 2021.

Futuro concorrente do Nubank, oferece conta digital sem taxas, emite cartão de crédito sem anuidade e promete oferecer até quatro saques gratuitos por mês. No momento, os clientes em potencial podem se cadastrar em uma lista de espera.

Fontes: CIO e TecMundo