Entenda por que grandes empresas estão apostando no metaverso

Um número crescente de grandes empresas tem visto no metaverso uma oportunidade de se aproximar do público-alvo, aumentar receitas e posicionar a marca como inovadora.

O termo, que indica um mundo virtual que tenta replicar a realidade por meio da tecnologia, está em alta e ganhou mais evidência após o Facebook anunciar no ano passado que se tornaria em uma “empresa de metaverso” em até cinco anos.

Até então, essa realidade era mais próxima de aficionados por video-games e amantes de criptomoedas. Mas, ao se disseminar entre o público em geral, se tornou também uma importante ferramenta de marketing para companhias.

Igor Hosse, professor da Universidade Anhembi Morumbi, afirma que as marcas estão migrando para esse mercado por três motivos: a monetização dos NFTs, as novas possibilidades de conexão com os clientes e a chance de se posicionarem como inovadoras.

Segundo ele, comprar artigos dessas companhias no mundo virtual “dão status ao jogador e, ao mesmo tempo, uma sensação de pertencimento”.

Para Hosse, o metaverso também teve um boom na pandemia por conta do isolamento social. “Nós precisávamos ficar em casa e distante das pessoas, e com esse universo digital, conseguimos nos aproximar das pessoas, mesmo que virtualmente”.

Segundo o especialista, as marcas enxergaram nesses encontros uma nova parcela de clientes. “O objetivo das companhias ao migrar para esse universo é estar próximo de possíveis compradores, disponibilizando NFTs para os usuários comprarem e usarem nos jogos”.

Denis Miranda – Diretor de Negócios da G&P

Metaverso na G&P

A G&P, em parceria com o Grupo Epic, lançou uma nova experiência virtual com o metaverso nas suas operações de BPO – Business Process Outsourcing e, segundo Luiz Guilherme Guedes, fundador do Grupo Epic, foi criado o meta-escritório, onde se pode realizar uma série de atividades, desde jogos até recursos como eventos online, convivência corporativa, treinamentos, mentorias, gestão de projetos etc.

“Criamos o ambiente das nossas operações BPO no mundo virtual e utilizamos no nosso dia a dia, aproximando e engajando a equipe no nosso propósito. Os metaversos estão vindo para ser a nova camada de intranet, comunicação e educação corporativa, das empresas que prezam pelo engajamento de seus colaboradores”, relata Denis Miranda, Diretor de Negócios da G&P.

Para Denis, o metaverso poderá favorecer o mercado de tecnologia “Esse mundo virtual onde as pessoas vão interagir por meio de avatares digitais crescerá exponencialmente e será responsável por uma onda de novas oportunidades”, finaliza.

Fontes: CNN e Portal Terra