Análise da dados ganha relevância na pandemia, indica estudo

Estratégia em ascensão para organizações com negócios digitais, a análise de dados ganhou ainda mais relevância durante a pandemia. Segundo estudo da  empresa de pesquisa YouGov a pedido da companhia de software Tableau, 79% dos líderes brasileiros entrevistados disseram que a pandemia tornou a análise de dados atividade prioritária para tomadas de decisão de negócios. O volume é acima da média global, que aponta que 55% dos executivos atribuíram a mesma relevância para o papel dos dados.

Em meio às incertezas causadas pela covid-19, 67% dos executivos disseram que seus negócios passaram a utilizar dados com mais frequência desde que a pandemia começou. 

O levantamento mostrou ainda que a grande maioria (89%) dos líderes brasileiros concorda que os dados ajudam as organizações a ter conversas de negócios de qualidade, uma vez que reduz a incerteza, ajuda a tomar decisões mais precisas e constrói confiança (88%). 

A análise de dados, ou analytics, no conceito em inglês, corresponde ao processo de coleta e entendimento de informações importantes disponíveis no ambiente digital para transformar dados em conhecimentos e insights relevantes aos negócios.

A pesquisa Quality Conversations entrevistou, em agosto deste ano, 1.977 executivos C-Level (profissionais do mais alto escalão das organizações) de diversos países da Europa, Ásia e Oceania, além do Brasil. O recorte brasileiro do levantamento contou com a participação de 224 líderes do alto escalão para entender como o uso de dados pode auxiliar as lideranças nas conversas de negócio. 

Democratização dos Dados

O acesso de todos os departamentos da companhia aos dados para tomadas de decisão, para 96% dos líderes brasileiros, é uma estratégia importante. De forma global, 93% dos executivos concordaram com essa prática, o que indica uma tendência de mercado presente no mundo todo. 

Para os brasileiros ouvidos no estudo, a habilidade mais importantes para se ter uma conversa de negócios produtiva (60%) é a capacidade de entender insights de dados; a maioria (68%) também disse que ter a mente aberta e não ter viés cognitivo (padrão de distorção de julgamento) são habilidades-chave. 

Fonte: Febraban