5 práticas que permitem as equipes ágeis cumprirem o sprint

Uma prática fundamental no scrum está no comprometimento com a priorização do trabalho no início do sprint e, em seguida, em sua completa conclusão. Equipes ágeis bem-sucedidas concluem ou excedem seus compromissos de sprint e entregam o software no final. Esses times também medem sua velocidade e discutem melhorias de processo em reuniões para aumentar a qualidade, a produtividade e outras métricas.

Mas cumprir as atividades de sprint não é simples, e muitos obstáculos podem impedir as equipes. Por exemplo:

Equipes recém-formadas ou com novos membros devem descobrir estilos de trabalho, métodos de colaboração e proficiência em habilidades. Essas equipes costumam ter velocidades imprevisíveis até estabelecer um ritmo de trabalho.

As equipes que trabalham com novas tecnologias podem não saber como desmembrar atividades e fazer estimativas com precisão. Da mesma forma, as equipes que trabalham com lacunas de conhecimento em torno das tecnologias herdadas, da base de código ou dos processos de criação e implantação, também podem ter dificuldades com suas estimativas.

As equipes que trabalham com proprietários de produtos desafiadores e culturas comerciais sentem pressão para se comprometerem para além de suas capacidades.

Às vezes, as equipes podem não conhecer completamente suas próprias restrições. Pode haver feriados, reuniões corporativas ou outras prioridades pessoais que afastem as pessoas da tarefa.

Se os sistemas de produção são relativamente estáveis, as equipes ágeis geralmente podem estimar quanto do seu tempo é extraído das atividades de desenvolvimento para suportar incidentes de produção. Mas essas são apenas estimativas e, em algumas situações, as equipes ágeis devem dedicar um tempo significativo para ajudar a resolver problemas de produção ou investigar as causas principais.

Minha experiência no trabalho com equipes ágeis é que, a qualquer momento, elas costumam lidar com alguns desses problemas. Mesmo quando os times assumem compromissos e aumentam a velocidade, surgem novas demandas. Mas algumas ferramentas e práticas ajudam a gerenciar incógnitas, riscos e eventos externos que desafiam os colaboradores a assumir compromissos.

Confira cinco práticas que as equipes de scrum utilizam para melhorar o cumprimento do sprint.

Melhorar a colaboração da equipe durante reuniões de scrum

Existem algumas reuniões de scrum padrão projetadas para ajudar as equipes a revisar prioridades, assumir compromissos, acompanhar o trabalho em andamento, revisar resultados e discutir melhorias de processo. Em cada reunião, as equipes devem ter discussões diferentes sobre seus compromissos.

Na reunião de planejamento do sprint, as equipes ágeis revisam a intenção e os critérios de aceitação e finalizam a trajetória. As equipes ágeis devem evitar se comprometer com projetos que não entendem e devem dividir os projetos complexos em atividades menores.

Durante as posições de scrum, a principal responsabilidade dos mestres é retirar impedimentos e bloqueios que atrasam a conclusão da história.

Por fim, as equipes devem discutir os sucessos, erros e dificuldades dos compromissos durante a reunião retrospectiva do sprint. Se a equipe perdeu o compromisso e não terminou uma ou mais histórias, deve revisar o que motivou as falhas e considerar melhorias para os próximos sprints.

Use picos para lidar com riscos técnicos

Picos são histórias projetadas para validar riscos e incógnitas técnicas. Quando um pico é bem-sucedido, o valor comercial entregue é o conhecimento de como projetar ou fornecer histórias priorizadas pelo proprietário do produto. Como os picos se destinam à realização de pesquisas, eles podem não atingir os resultados desejados.

As equipes ágeis avançadas usam picos para pesquisar novas tecnologias, testar novas implementações técnicas ou validar suposições em torno das áreas herdadas do código. Se eles estão desenvolvendo um código que possui critérios de aceitação rígidos e não funcionais para desempenho e confiabilidade, pode-se criar picos para implementar e testar projetos. As equipes ágeis podem definir toda uma prova de conceito como uma série de picos projetados para aumentar sua confiança nas tecnologias e nos padrões de design.

Divida as histórias em histórias menores e mais fáceis

Ao escrever histórias, é mais conveniente para proprietários de produtos ou analistas de negócios elaborá-las com todos os recursos necessários para agregar valor ao cliente ou usuário final. Mas as equipes ágeis que revisam essa mesma história e detalham sua implementação geralmente reconhecem que vários recursos precisam de engenharia para atender aos critérios de aceitação.

Algumas equipes, reconhecendo a complexidade de uma história, estimarão um alto número de pontos que devem ser observados. Outros times de scrum terão uma abordagem diferente. Eles pegam histórias mais longas e as dividem em histórias menores. Isso aumenta a probabilidade de concluir os projetos menores e oferece à equipe opções para dividir o trabalho em diversos sprints.

Se a equipe não puder dividir a história, deve investir tempo para definir uma divisão da tarefa. A análise ajuda as equipes de scrum a desenvolver um entendimento compartilhado do trabalho necessário, permite atribuir tarefas e abre oportunidades para executar partes do projeto simultaneamente.

Definir compromissos superficiais em vez de prometer demais

Conheço muitas equipes ágeis que sentem a pressão dos seus proprietários de produtos para se comprometerem com mais histórias. Alguns times acham que precisam negociar seus compromissos de sprint, enquanto outros se pressionam para se comprometer com mais histórias para aumentar a velocidade.

Existe outra opção. Algumas equipes ágeis se comprometem com o número de histórias que elas têm alta confiança em concluir. As demais são aprofundadas apenas se a atual for finalizada antes do tempo, mas as demandas são recebidas, o que acalma proprietários exigentes.

Foco para completar as mais altas prioridades

No início do sprint, a maioria das equipes scrum revisa as histórias, atribui propriedade e delega tarefas aos membros da equipe. Os times encontram maneiras eficientes de atribuir as atividades. Alguns formalizam as atribuições em ferramentas como Jira e Azure DevOps, e outros usam as posições do scrum para revisá-las.

Um método natural e razoável é dividir e conquistar. Nessa abordagem, várias histórias são atribuídas e iniciadas no início do sprint. Funciona bem quando as histórias têm prioridades semelhantes, são relativamente pequenas e têm poucas interdependências.

Outra técnica para equipes que trabalham com histórias de maior prioridade e mais complexas é o foco na priorização. Em vez de dividir a equipe em várias histórias, o time se prepara para completar a história de maior prioridade antes de enfrentar outras. Essa abordagem pode aumentar a produtividade da equipe de scrum e diminuir o risco de não conseguir concluir as principais prioridades do sprint.

As equipes de Scrum devem considerar uma mistura de práticas ao planejar, confirmar e concluir os compromissos de sprint. Os times ágeis que usam essas práticas criam confiança em relação aos compromissos e aumentam suas taxas de sucesso. Somente então oportunidades para aumentar a velocidade devem ser consideradas.

Fonte: Portal CIO – clique aqui e acesse.