Edge Computing está prestes a florescer, aponta Forrester

De acordo com previsões da Forrester Research, 2020 será o ano que impulsionará a edge computing para o centro das atenções da tecnologia corporativa.

Apesar da edge computing ser principalmente um fenômeno relacionado à Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês), a Forrester afirma que abordar a necessidade de computação sob demanda e compromissos de aplicativos em tempo real também desempenhará um papel no estímulo ao crescimento da tecnologia no próximo ano.

Ao que tudo indica, de certa forma, é que os fatores de forma se afastarão bastante dos servidores tradicionais de rack, blade ou torre no próximo ano, dependendo de onde a tecnologia for implantada. Um carro autônomo, por exemplo, não poderá executar um servidor tradicionalmente desenvolvido.

Isso também significa que as empresas de telecomunicações começarão a se destacar muito mais nos mercados de nuvem e computação distribuída. A Forrester afirma que as CDNs podem se tornar alvos interessantes de aquisição para grandes operadoras que perderam o caminho na computação em nuvem e estão ansiosos por desfrutar da vantagem. As empresas de telecomunicações também estão investindo em projetos de código aberto como o Akraino, projetado para suportar a disponibilidade da operadora.

Mas o maior impacto das operadoras na edge computing em 2020 será, sem dúvida, a crescente disponibilidade da cobertura 5G, segundo a Forrester. Embora essa disponibilidade ainda esteja restrita às grandes cidades, isso deve ser suficiente para impulsionar estratégias pelas empresas que desejam tirar proveito de recursos como processamento inteligente de vídeo em tempo real, mapeamento 3D para produtividade do trabalhador e aplicações que envolvam automações, como robôs ou drones.

Além das operadoras, há uma enorme variedade de partes interessadas na edge computing, todas com os olhos fixos no futuro. As fabricantes de dispositivos operacionais em todos os campos, de remédios a empresas de serviços públicos, precisarão de dispositivos de borda personalizados para conectividade e controle. Com isso, grandes fornecedores de nuvem procurarão consolidar sua influência sobre esse mercado, e as startups de inteligência artificial e machine learning buscarão permitir novos níveis de insight e funcionalidades.

Conforme apontado pela Forrester, a implementação média de edge computing será de uso de diferentes fornecedores ao mesmo tempo. Segundo as informações, os integradores que puderem extrair produtos e serviços de diversos fornecedores em um único sistema serão muito procurados no mercado no próximo ano. É provável que as soluções de vários fornecedores sejam muito mais populares do que o uso de um único fornecedor, em grande parte porque poucas empresas possuem produtos que abordam todas as partes da edge computing e da IoT.

Fonte: Portal CIO – clique aqui e acesse.

tel: +551138896300